Como habilitar a inovação por meio das APIs?

Por Novembro 21, 2017

Diversas empresas atualmente buscam a inovação por meio da transformação digital e isso sempre acaba remetendo ao suporte a omni channel, onde o uso de serviços providos pela empresa gera a opção de multiplicar a receita com diversos canais e ótima experiência do usuário.

Neste contexto, então, de que forma podemos habilitar e fomentar o uso de APIs (Application Programming Interface)?

Inicialmente, para habilitar APIs é necessário o uso de um Gateway que realizará as transformações, composições e segurança do serviço exposto.

O gateway é a plataforma que publicará suas APIs de forma segura e governável na internet. Para fomentar o desenvolvimento, soluções de Gerenciamento de API possuem portais focados nos desenvolvedores com as APIs publicadas, permissionamento de acesso, fórum de discussão, exemplos de códigos e a documentação técnica.

Isso é muito importante, pois os portais permitirão a abertura para a busca de novos parceiros que trarão focos em determinados nichos de usuários e trarão também agilidade na criação de novas soluções com toda inovação atrelada.

Primeiro, a estratégia

A estratégia da empresa determinará se o objetivo é abrir para parceiros diversos ou atuar com um publico de parceiros controlado.

Uma grande provedora de conteúdo televisivo americana buscava prover conteúdo sob demanda para TVs inteligentes, vídeo games e outros devices e eles conseguiram de forma rápida, ao abrir as APIs para parceiros em geral, grandes ou pequenos. Estes parceiros criaram aplicativos para as TVs e Videogames, utilizando o portal de APIs e a documentação fornecida.

Outra abordagem de forma aberta é promover hackathons, onde o desenvolvimento aberto promove a inovação. Diversas iniciativas desse tipo já criaram startups ou contratos diretos com a própria empresa que fornece as APIs.

Já no caso de públicos mais controlados, vemos empresas criando toda atmosfera de testes, definindo pessoas dedicadas para suportar os parceiros e, neste caso, o mais importante é definir contratos com um número fixo de parceiros para controlar o acesso a informações mais críticas e dar o melhor tipo de suporte possível.

Nada impede algo misto onde além do controlado, algumas APIs menos críticas sejam abertas para o publico em geral poder trabalhar e criar.

O importante aqui é considerar o quanto de pesquisa e desenvolvimento pode ser economizado ou utilizado de forma mais inteligente seguindo este modelo.

Escrito por Alfredo Santos 
Ajudando clientes a planejar e executar suas iniciativas estratégicas de Transformação Digital
LinkedIn: @alfredosantos