Iniciativas de gestão de APIs – De volta à aula número 1

Por Março 5, 2018

As APIs estão se tornando uma preocupação tecnológica urgente para um número crescente de organizações. Todos os dias, mais empresas e instituições do setor público querem explorar o valor dessa tecnologia, no entanto, grande parte dos tomadores de decisões não têm conhecimento básico do que está por trás dela. Neste texto, oferecemos uma descrição geral sobre o que as APIs (Application Program Interface) são, o que elas fazem e o valor que elas trazem para as áreas de negócios.

As Interfaces de Programação de Aplicativos fornecem uma maneira de conectar componentes de software, permitindo que empresas criem novos modelos de negócios reutilizando dados e funcionalidades existentes.

Uma API atinge esse objetivo facilitando interações entre módulos de código, aplicativos e sistemas legados. Nesse processo, é determinado como os diferentes componentes de software interagem uns com os outros, liberando o compartilhamento de dados.  Depois de uma década desenvolvendo serviços que permitiam a integração de aplicativos para clientes e funcionários, a Alaska Airlines observou que, ao reutilizar a funcionalidade de aplicativos existentes, poderia criar serviços para terceiros, gerando receitas adicionais para a empresa.

As APIs não são um conceito novo, mas à medida que a complexidade dos sistemas operacionais aumentou, a necessidade de padrões de comunicação levou à sua adoção. Hoje é inegável a sua presença nas linguagens de programação, redes e serviços de grandes empresas da internet. Na verdade, seria difícil conceber modelos de negócios de empresas como Salesforce.com, Expedia.com e EBay sem elas. Suas APIs geram 50%, 90% e 60% da receita da empresa, respectivamente.

A rápida absorção tecnológica das APIs é explicada principalmente pelo uso da internet como espinha dorsal para o desenvolvimento de mercados e, portanto, novas maneiras de conectar recursos de TI existentes com portais online e aplicativos para tablets e celulares.

Um exemplo tangível dessa adoção é o setor de saúde, um gigantesco ecossistema no qual o principal objetivo é melhorar a qualidade e eficiência do atendimento ao paciente. Seria impossível o fluxo livre de informações em todo o ecossistema sem a conexão com registros médicos existentes. Os desafios de integrar novos provedores de serviços e fabricantes, mantendo o cumprimento de regulamentos rígidos no tratamento de dados pessoais, não são triviais e The Advisory Board Company esteve consciente desde o início da definição de sua iniciativa de gerenciamento de APIs.

Hoje, é comum que, quando as pessoas falam sobre uma API, elas se refiram às Web APIs, uma interface de software exposta por meio do protocolo HTTP (o mesmo que usamos para navegar na rede) e, geralmente, publicado na internet para facilitar o desenvolvimento de aplicações web e na nuvem.

As redes sociais expõem APIs que permitem que seus usuários postem atualizações ou compartilhem conteúdo. Os portais de pesquisa de passagens aéreas, por exemplo, se conectam às APIs de diferentes companhias aéreas, citando itinerários em datas e horários específicos para que os clientes possam comparar e selecionar a melhor opção para compra. No entanto, deve-se notar que as APIs não são criadas só para atender às demandas tecnológicas, e sua publicação não é um mero desafio na área de sistemas.

Cada API publicada deve primeiro considerar objetivos de negócios específicos e os responsáveis pelo design do produto devem garantir que esses objetivos orientem o processo de design da interface.

A publicação de uma API pode agregar valor à empresa de diferentes maneiras. Antes de entrar em detalhes técnicos, é vital que os arquitetos entendam o valor para o negócio que as organizações esperam obter de uma iniciativa de APIs.

Os objetivos de negócios de uma organização devem ser o principal requisito operacional no processo de criação de uma API. De um modo geral, qualquer organização que considere esta iniciativa deve visar um ou mais dos seguintes objetivos:

1) Aumento da renda: em alguns casos, uma API pode ser uma fonte direta de receita para a organização. Ela pode envolver: cobrança de uma taxa para que os desenvolvedores externos acessem à API; fácil acesso à criação de aplicativos de pagamento sob demanda; ou habilitação de recursos para comércio eletrônico a partir de dispositivos móveis. Um ponto chave aqui é que uma API deve fornecer algo valioso o suficiente para que uma organização esteja disposta investir em seu uso.

2) Aumento da participação no mercado e do valor entregue aos clientes: as APIs fornecem a solução ideal para empresas que desejam aumentar a participação no mercado ou melhorar a experiência do cliente, oferecendo serviços existentes por meio de novas plataformas. Para isso, é essencial considerar os requisitos técnicos e de segurança que permitem a entrega de valor por meio de novos canais e alavancar a estratégia omnichanel.

3) Apoio à área de vendas e marketing digital: as APIs abrem a possibilidade de ajudar uma empresa a comercializar seus produtos e serviços, mesmo que elas não participem necessariamente no processo de venda e entrega aos clientes. Uma API que fornece suporte indireto a atividades comerciais deve buscar a geração de fidelidade de marca e funcionalidade imersiva, geralmente associada a boas práticas de marketing digital.

4) Estimular a inovação e criação de novos modelos de negócios: as APIs podem ajudar uma organização a permitir novos modelos de negócios criados a partir de estratégias comerciais internas, pois reduzem as barreiras técnicas, facilitando a prototipagem em atividades de inovação. Especificamente, as APIs capacitam as organizações a implementar ideias sem ter que mudar seus sistemas, a uma velocidade sem precedentes.

5) Integração de dados e aplicações existentes: as APIs também desempenham um papel importante de integração em projetos internos na área de sistemas que afetam os objetivos do negócio. Nestes projetos, é vital considerar que a necessidade de processos substantivos integrem-se uns aos outros devido a pressões de concorrência comercial agressiva, fusão ou aquisição, e cumprimento de novos regulamentos governamentais.

Claro, a implementação de uma iniciativa de API que envolve o alinhamento de objetivos de negócios e monetização é um processo interativo, no qual a compreensão do ecossistema desempenha um papel preponderante. E é por esta razão que no próximo post vamos falar sobre a importância que o ecossistema desempenha em torno de nosso programa de APIs.

Para saber mais:

The API Academy. (2018a). API Strategy 101: What is an API?

The API Academy. (2018b). API Strategy 102: The business value of APIs.

Iyer, B. & Subramaniam, M. (2015). The Strategic Value of APIs. Harvard Business Review.

Davenport, T. H. & Iyer, B. (2013). Move Beyond Enterprise IT to an API Strategy. Harvard Business Review.

CA Technologies. (2018a). Alaska Airlines impulsa la innovación en los viajes aéreos a través de API.

CA Technologies. (2018b). The Advisory Board Company ayuda a los profesionales de la salud a liberar los datos.

Escrito por Miguel Ángel Barragán García
API Management Consultant at CA Technologies
LinkedIn: @miguelbarragan