Rebuliço: uma lição de agilidade e transformação com um youtuber

Por Dezembro 11, 2017

Amigos, queria contar uma experiência pessoal que tive no dia 26 de novembro desse ano, que apesar de não ter a ver diretamente com os assuntos que normalmente discutimos aqui, me fez pensar a respeito de transformação e agilidade.

Fui com meu filho caçula assistir um show do Felipe Neto, um youtuber famoso que ele adora. Eu já tinha ouvido falar dele, mas confesso que nunca tinha visto absolutamente nada sobre esse youtuber até então. Pouco tempo após chegar ao Espaço das Américas para a segunda sessão do dia, fiquei espantado: o local estava totalmente lotado, com fãs dos 5 aos 25 anos – e mais um monte de pais, como eu.

O show logo começou e, como ele mesmo diz, foi um “rebuliço”: a criançada gritava ensandecida mas, com muito tato e carisma, mesmo com pouca idade, comandou a cena. De cara, ele explicou qual seria a “agenda” do dia e, de maneira frenética (aliás, como é de praxe entre youtubers como ele), iniciou uma série de quadros curtos, sempre mantendo o público vidrado, alternando momentos cômicos e outros até bem melodramáticos, com uma presença de palco que deixaria até o pessoal mais tarimbado do TED com inveja.

E aí ficou claro para mim as semelhanças com as transformações que vemos no mundo corporativo: Felipe começou pequeno, fazendo vídeos em casa, como se fosse uma “startup” enxuta testando seus MVPs, e foi experimentando diversos tipos de conteúdo, sempre atento às métricas de sucesso que lhe interessavam (no seu caso, principalmente likes em vídeos e número de assinantes em seu canal).

Claro, com o sucesso, ele soube se estruturar para não ser engolido pela concorrência, e atualmente tem uma produção de conteúdo muito mais profissional, que o permitiu chegar a mais de 15 milhões de assinantes. Também ajustou parte de métricas e até os haters o ajudam, já que os comentários de ódio levam sua base de apoiadores a defendê-lo ainda mais, o que só aumenta a exposição de seu nome.

Apesar desse crescimento espantoso, ele soube manter sua essência, ou seja, os valores que o fizeram prosperar: uma autenticidade e simplicidade ao falar, que além de não soar artificial, cativa seu público, mesmo falando sobre temas do cotidiano que já foram abordados ao longo de décadas pelos mais variados animadores, mas que em sua voz parecem algo totalmente novo. Isto, é claro, aliado a um formato claramente “Ágil”: pequenas entregas frequentes, mas sempre trazendo valor para seus clientes.

Podemos ver que as novas tecnologias e novos princípios que guiam o modo como trabalhamos não nos afetam apenas em nossas vidas profissionais, mas até no modo como nos divertimos.

Há algo de novo no ar, e parece que veio para ficar. E como diria Felipe Neto em seu bordão principal, essa nova onda é um rebuliço!

Escrito por Andrei Monteiro
Ajudando as organizações a transformar ideias em resultados
LinkedIn: @andreimonteiro