Você sabe o que é Hashgraph?

Por Janeiro 2, 2018

Ele promete ser uma alternativa muito melhor ao Blockchain!

É inegável o crescimento e o interesse do mundo todo em torno do Blockchain em 2016. Multiplicam-se os casos de uso relacionado à tecnologia, desde a redução de custos operacionais no setor financeiro, passando pelo combate à pirataria envolvendo conteúdos digitais, chegando até mesmo a ser cogitada como uma moeda interplanetária.

Quer mais um exemplo do seu crescimento?

Somente em novembro de 2016, a Mastercard e alguns bancos (Goldman Sachs e Bank of America) solicitaram 356 novos pedidos de patentes envolvendo a tecnologia. Logicamente, muito desse interesse se deve ao Bitcoin, mas, na minha visão, Blockchain não vai conseguir se aplicar a todos os segmentos e casos de uso. Existem limitações claras que precisam ser revistas e trabalhadas.

Pensando nisso, uma empresa chamada Swirlds com sede no Texas, liderada pelo Dr. Leemon Baird, lançou uma plataforma chamada Hashgraph que promete ser uma alternativa mais interessante ao Blockchain.

Dentre as principais vantagens apresentadas por Leemon Baird em seu artigo, intitulado “Overview of Swirlds Hashgraph” , destaco:

1)    Plataforma mais “justa” que o Blockchain:

Imagine a seguinte situação, um conjunto de pessoas faz um lance na compra de ações, esses lances chegam ao mesmo tempo e com os mesmos valores.

O criador do Hashgraph garante que nenhum indivíduo terá a liberdade para atrasar ou manipular a ordem das operações. No Hashgraph, as transações são definidas levando em consideração a ordem que eles chegam para maioria. Isso acontece porque ele utiliza um método de consenso chamado Timestamping. Esse método ocorre quando a maioria dos envolvidos na transação concordam com a validade do bloco ou das transações. Essa abordagem ainda permite que os envolvidos definam o modelo de processamento das transações que melhor atendam suas necessidades e interesses.

2)    Hashgraph mais rápido que o Blockchain:

Sua limitação se restringe a largura de banda disponível. Se cada membro da transação tem largura de banda suficiente para o download de 4.000 transações por segundo, então essa será a quantidade que o sistema vai conseguir tratar. A abordagem do Hashgraph permite que cada membro envolvido possa adicionar blocos a qualquer momento. Cada vez que um bloco é adicionado, todos os membros são notificados, e quando a maioria dos membros confirma a recepção do bloco e seu conteúdo, sua ordem e adição ao ledger é finalizada. Isso significa que não existe um regulador ou limitador para a velocidade com que as transações são processadas.

3)    Preço mais acessível que o Blockchain:

No sentido de não precisar utilizar o mecanismo de consensus Proof-Of-Work. Reconhecidamente, esse mecanismo exige uma maior capacidade computacional dos mineradores (miners). Em razão disso, Bitcoin chega a consumir tanta energia quanto a Irlanda do Norte. É importante mencionar que existem variações do Blockchain que não usam mecanismo de consensus Proof-Of-Work, mas quando falamos de Bitcoin, esse é o mecanismo utilizado.

Acredito que ainda exista muito espaço para a evolução de sistemas e plataformas distribuídas. Alternativas que trazem avanços sempre serão bem-vindas e vão ajudar acelerar a capacidade e a maturidade desse importante mercado.

A questão é não fechar os olhos e achar que essa ou aquela tecnologia não vai afetar seu negócio.

Quando você acordar, muito provavelmente, já será tarde demais!

Escrito por Leandro Deffente
Solution Account Manager – Security & API Management at CA Technologies
LinkedIn: @leandrodeffende